Notícias

Aqui você acompanha as últimas notícias do ramo farmacêutico.

06/05/2016

Novo comprimido busca diminuir tumor do câncer de mama antes da cirurgia

 

O novo tratamento busca diminuir ou fazer desaparecer o tumor da mama para o tipo que atinge mais de 60% dos tumores, o de receptor de hormônio positivo. O estudo está na fase 2 e a intenção deste novo medicamento é associar este novo comprimido com um já existente no mercado. Isso porque o atual medicamento apresenta desaparecimento do tumor em 1 a cada 100 pacientes. E com a associação, esse número passaria para 1 a cada 5 pacientes. Além disso, a intenção é aumentar em 50% a chance de diminuir o tumor antes da cirurgia.

No mundo, 330 pacientes estão selecionados. Em Santa Catarina apenas o Centro de Novos Tratamentos está com o protocolo aberto. No Brasil, são 4 locais: Itajaí – SC, Porto Alegre – RS, São Paulo capital e Barretos – SP. Até o momento, apenas 10% do público que participou da primeira fase apresentou efeitos de cansaço e diarreia. Não temqueda de cabelo.

Para participar deste novo protocolo, a paciente precisa ter mais de 18 anos, tumor maior ou igual a 2 centímetros, não pode ter realizado nenhum tipo de tratamento para câncer de mama e não pode apresentar metástases.  “ Este novo protocolo ficará aberto um mês aqui em Itajaí e serão 2 comprimidos para o câncer de mama. O tratamento inicia antes de cirurgia para diminuir o tumor. É um bloqueador hormonal associado com um novo bloqueador de proteína”, explicou o médico oncologista responsável pelo Centro, Giuliano Santos Borges.

Em 2016, o câncer de mama deve afetar  mais de 55 mil mulheres, segundo a estimativa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. O mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, é dividido em muitos tipos e alguns acabam evoluindo de forma rápida. Aos poucos, a medicina apresenta evolução e novos medicamentos surgem na tentativa de buscar a cura e tratamentos com menos efeitos colaterais e mais respostas.

Fonte: Snif Brasil

Conheça nossos fornecedores