Notícias

Aqui você acompanha as últimas notícias do ramo farmacêutico.

11/09/2015

Pessoas alérgicas a medicamentos e médicos passam a contar com aplicativo para evitar reações alérgicas

 

Alérgicos e médicos passam a contar agora com o aplicativo Alergia a Medicamentos, o único voltado para a especialidade de Alergia. O App é muito simples de ser utilizado. O paciente pode registrar remédios e princípios ativos aos quais é alérgico. Na farmácia, no momento de compra, ele digita o nome do remédio e o aplicativo mostra o resultado, se pode ou não usar o produto. O paciente tem, ainda, um espaço para registrar o nome do seu médico, caso haja alguma emergência, além do telefone do SAMU.

O App também é um grande aliado dos médicos, que no momento da prescrição poderão pesquisar quais medicações oferecem ou não perigo aos seus pacientes. O App Alergia a Medicamentos está disponível para iPhone (iOS) e Android. No aplicativo é possível encontrar todos os remédios registrados no Brasil pela Anvisa, até agosto de 2015. São milhares de nomes comerciais, em diferentes apresentações e princípios ativos. Essa lista foi organizada em cerca de 3.000 grupos de medicamentos.

O criador do aplicativo, o médico alergista Fábio F. Morato Castro, conta que o maior desafio para desenvolvê-lo foi a extensa lista de remédios disponíveis e os cruzamentos das informações na literatura científica mundial. “Em breve, entraremos na segunda fase do App Alergia a Medicamentos, expandindo para outros países e com listas personalizadas”, avisa o médico.

Números - No Brasil, cerca de 10% da população apresenta reação alérgica a algum tipo de remédio. Os anti-inflamatórios não esteroidais são os maiores responsáveis pelas reações mais frequentes. Os antibióticos também aparecem, porém com menor prevalência. A reação mais grave é a anafilaxia, que pode ocorrer durante os procedimentos com medicamentos anestésicos.

Fonte: Snif Brasil

Conheça nossos fornecedores